01.08.2018

A amamentação e seus benefícios

Amamentar traz muitos benefícios, tanto para a mãe quanto para o bebê.

É uma incrível maneira de criar intimidade e construir uma linda história de amor entre a mãe e o bebê que acaba de nascer. O leite materno possui absolutamente todos os nutrientes que o bebê precisa para se desenvolver bem.

A criança não precisa de mais nada além do leite materno, nem mesmo água, nos primeiros seis meses de vida. E, após esse período, mesmo com a introdução alimentar, o leite materno continua sendo cheio de propriedades benéficas para a saúde do bebê.

Pesquisas mostram que o leite materno possui anticorpos (uma espécie de “vacina” natural) que protegem a criança contra infecções, como gastroenterites (doenças com ocorrência de diarreia) – já que o leite contem probióticos, doenças respiratórias, infecções urinárias e infecção de ouvido. O leite materno possui ainda ácidos graxos que contribuem para o bom desenvolvimento do cérebro do bebê.

O aleitamento também reduz o risco do bebê ter doenças mais graves, como diabetes e diminui o risco de obesidade infantil, problemas alérgicos como asma, dermatites, alergias alimentares e alergia à proteína do leite ( APLV ). E quando o bebê adoece ou fica indisposto, muitas vezes o leite materno é a única coisa que ele aceita.

Assim, quando se amamenta é mais fácil manter o bebê hidratado, alimentado e reconfortado nas fases em que ele está doente.

Amamentar também deixa a mamãe saudável. A amamentação colabora para a perda do peso adquirido durante a gravidez e reduz o risco de diabetes, câncer de mama e de ovário. E, por fim, outros dois grandes benefícios em amamentar são: a praticidade – em não precisar levar alimentos para todo lugar que mamãe e bebê precisarem ir e a economia, pois o leite materno não custa absolutamente nada.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, com base em estudos científicos, recomendam o aleitamento materno exclusivo até os seis meses e a manutenção da amamentação até acima de 2 anos de idade.

Vale lembrar que, para as mamães que não amamentam , seja porque não querem ou porque não podem, fica indicado o uso de fórmulas infantis especificas para a faixa etária da criança e não o leite de vaca comum.

Mulheres que não amamentam seus filhos pelo motivo que for também podem ser capazes, claro, de construir laços afetivos duradouros e de criar crianças saudáveis.

Amamentar nem sempre é uma tarefa fácil principalmente nos primeiros dias de vida do bebê e para essa questão já existem profissionais especialistas no assunto, também conhecidos como consultores de amamentação, que oferecem assessoria e orientação para esse momento tão especial da vida da mamãe e do bebê. Busque por um caso haja dificuldade.

É importante procurar ajuda e se informar sempre que possível, afinal, amamentar é a perfeita síntese entre amar e alimentar <3 Texto: Patrícia Carvalho - ginecologista e obstetra da Casa Humanna, uma parceria da Souvie Cosméticos Orgânicos

Comentar

Deixe uma resposta